Página Inicial
        Notícias
       Fotos
       Diretoria da CBMT
       Agenda
       Links
       Academias Filiadas
       Graduação
       Atletas do Ano
       Vídeos em Destaque
       O Muay-Thai
       História no Brasil
       Ranking Amador
       Ranking Profissional
       Mestres e Professores
       Por que se filiar à CBMT?
       Quem é a CBMT ?
       Regras
       Quadro de Árbitros
       Ouvidoria e STJD
       Licitações
       Nutrição para o atleta
       Wolrd Muay Thai Federation
       English
       Bolsa Atleta
       Contato


Regras do Muay Thai da CBMT

Com o intuito de promover o efetivo desenvolvimento do muay thai nacional, a Confederação Brasileira de Muay Thai (CBMT) estipula regras rígidas para suas competições, respeitando as diferenças entre faixas-etárias, sexos e grau de experiência de seus lutadores. A adoção dos padrões e normas da Confederação visa a garantir a integridade física de seus atletas. Vale ressaltar que o texto que segue consiste em um manual explicativo de todas essas regras, disponibilizando seu conhecimento a todos, ratificando, dessa forma, a transparência que pauta a relação da CBMT com seus públicos.

Atenção para os requisitos para a conquista de uma vaga para o Campeonato Mundial de Muay Thai na Tailândia

Os atletas que foram campeões, prata ou bronze no Mundial do ano anterior, não têm vaga garantida no mundial do ano seguinte. A conquista da vaga para o campeonato será apenas pela participação nas competições nacionais realizadas pela Confederação Brasileira de Muay Thai. Conheçam os requisitos para cada uma das categorias:

 

Senior

  • Ter de 19 a 37 anos

  • Ser o campeão brasileiro de uma das categorias da classe A

Divisões da Senior:

Masculino: 48kg 51kg 54kg 57kg 60kg 63.5kg 67kg 71kg 75kg 81kg 86kg 91kg 91+kg

Feminino: 45kg,48kg-51kg-54kg-57kg-60kg-63.5kg-67kg

 

Semi-profissional (Pro-am)

  • Ter de 19 a 37 anos

  • Ser o detentor do cinturão de uma das categorias da WMF Brasil

Divisões do Pro-am:

Masculino: 54kg 57kg 60kg 63.5kg 67kg 71kg 75kg 81kg 86kg 91kg 91+kg

Feminino: 48kg-51kg-54kg-57kg-60kg-63.5kg

 

Cadet

  • Está em primeiro lugar na classe juvenil

  • Ter até 14 anos

Divisões do Cadet:

Masculino: 39 kg 41 kg 43kg & 45kg 48kg 50kg

Feminino : 39 kg 41 kg 43kg & 45kg 48kg 50kg

 

Youth

  • Ter até 18 anos

  • Está em primeiro lugar na classe junior

Divisões do Youth:

Masculino: 45kg 48kg 51kg 54kg 57kg 60kg 63.5kg 67kg 71kg

Feminino: 45kg 48kg-51kg-54kg-57kg-60kg-63.5kg

 

  

DA DIVISÃO DE CLASSES

Respeitando o princípio da isonomia, a CBMT observa as diferenças entre os atletas e divide-os, em suas competições, segundo alguns critérios, tais como faixa-etária, peso, sexo e experiência, evitando a ocorrência de lutas inapropriadas e injustas. A divisão de classes é alicerçada nos critérios experiência e faixa-etária, e se dá da seguinte forma:

Maiores de idade

CLASSES

NÚMERO DE LUTAS

NÚMERO DE ROUNDS

DURAÇÃO DE CADA ROUND

EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS

Classe A

A partir de 10 lutas

Três

Três minutos

Luvas

Classe B

De sete a nove lutas

Três

Dois minutos

Luvas e capacete

Classe C

De quatro a seis lutas

Três

Um minuto e meio

Luvas, caneleira e capacete

Classe D

Até três lutas

Três

Um minuto

Luvas, caneleira e capacete

 

Menores de idade

CLASSES

IDADE

NÚMERO DE ROUNDS

DURAÇÃO DE CADA ROUND

EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS

Classe Infantil

12 a 13 anos

Dois

Um minuto

Luvas, caneleira, capacete, atadura, protetor bucal e coquilha

Classe Juvenil

14 e 15 anos

Três

Um minuto

Luvas, caneleira, capacete, atadura, protetor bucal e coquilha

Classe Júnior

16 e 17 anos

Três

Um minuto

Luvas, caneleira, capacete, atadura, protetor bucal e coquilha

 

OBS 1: Todas as lutas de contato (full contact, kick boxing, boxe, boxe chinês etc.) serão contabilizadas para participação nas classes de lutas, exceto MMA.

OBS 2: O atleta que é grau preta e não participou de nenhuma luta entrará, diretamente, na classe B.

OBS 3: Caso o atleta menor de idade complete 18 anos e tenha mais lutas do que as classes D e C, ele entrará diretamente na classe C.

OBS 4: Será admitida a permanência de apenas três pessoas no corner, independentemente da classe da luta a ser disputada.

OBS 5: A utilização de joelhadas só é permitida em lutas profissionais, sendo, portanto, vedada em todas as classes amadoras (A, B, C, D, Júnior, Juvenil e Infantil).

OBS 6: Na categoria feminina, os treinadores poderão encaminhar uma solicitação à CBMT caso queiram mudar a classe de uma atleta para uma classe com maior número de lutas. Exemplo: o treinador de determinada atleta que tenha apenas duas lutas (classe D) pode requerer que ela lute na classe A. Para tanto, basta que ele envie uma solicitação à CBMT, junto com um termo de responsabilidade assinado por ele próprio e pela atleta, isentando a Confederação de quaisquer consequências advindas desta decisão.

OBS 7: Para disputa de cinturão Brasileiro de muay thai, será exigido o mínimo de duas participações nas etapas da CBMT, totalizando três participações com a disputa do cinturão Brasileiro.

 

DA PONTUAÇÃO

A CBMT atribui pontos para cada resultado dos lutadores, por isso, é fundamental para o atleta que almeja figurar entre os primeiros colocados no ranking nacional estar em atividade e participar do maior número de competições possível. As pontuações ficam assim estabelecidas:

Em caso de vitória: 10 pontos.

Em caso de empate: 5 pontos.

Em caso de derrote: 3 pontos.

 

DO RANKING DE EQUIPES

Todas as equipes filiadas à CBMT participam de seu ranking anual, atualizado após cada competição. A pontuação das equipes consiste no somatório dos pontos de cada um de seus atletas, funcionando, portanto, como um importante instrumento de aferição de desempenho coletivo.

 

DO RANKING DOS ATLETAS

Da mesma forma que acontece com as equipes, os atletas também são avaliados por meio de um ranking, no qual consta sua pontuação individual. Esse ranking é dividido por classe, peso e sexo.

OBS: Não será permitido aproveitar pontos de uma classe em outra. Exemplo: Se determinado atleta tiver 20 pontos na classe B e subir para a classe A, começará sua nova empreitada do zero.

 

DAS REGRAS PROFISSIONAIS

É facultada aos atletas que possuem mais de 10 lutas a possibilidade de migrar do nível amador para o profissional, no qual existem algumas peculiaridades, como a validade de joelhadas e a ausência de capacete.

 

DA ARBITRAGEM

A arbitragem se subdivide em duas vertentes: árbitros laterais e juiz central. Esclareceremos a seguir suas atribuições.

Árbitros Laterais – são os responsáveis por julgar a pontuação de cada round da luta, respeitando os seguintes critérios:

a) Em caso de considerável vantagem para um atleta sobre o outro, mas sem a aplicação de quedas, deve-se conceder a pontuação 10 a 9;

b) Em caso de ampla vantagem, mas sem a aplicação de quedas, deve-se conceder a pontuação 10 a 8;

c) Em caso de considerável vantagem e aplicação de uma queda, deve-se conceder a pontuação 10 a 8;

d) Em caso de vantagem e aplicação de duas quedas, deve-se conceder a pontuação 10 a 6;

e) Em caso de aplicação de três quedas no mesmo round, é decretada a derrota por nocaute técnico (TKO).

É importante salientar que a decisão sobre a amplitude da vantagem é subjetiva, mas deve ser fundamentada nos seguintes aspectos: agressividade, busca por nocaute, nível técnico apresentado e combinação de ataques.

 

Juiz Central – é a autoridade máxima no ringue, devendo ter suas decisões respeitadas. É o responsável pelo anúncio do vencedor.

 

DAS SUSPENSÕES

Os lutadores derrotados por nocaute – seja pela contagem até dez ou por nocaute técnico – são suspensos automaticamente por um mês. Caso ocorra o segundo nocaute dentro de três meses, a suspensão se estende para três meses, e, finalmente, o atleta que for nocauteado três vezes em um ano será suspenso por igual período, ficando vedada sua participação em competições da CBMT por uma temporada inteira.

 

DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA

Em observância ao artigo 1º da lei 2.014/92, os atletas deverão entregar, no dia da pesagem, um atestado médico confirmando que os mesmo estão em plenas condições de saúde e aptos a disputar competições de muay thai. O atestado deverá conter assinatura e carimbo do médico e ter sido expedido no ano da competição a ser disputada. O atleta que porventura não entregar o referido documento na data prevista será automaticamente desclassificado, sem possibilidade de restituição do valor da inscrição.

 

 

 







Confederação Brasileira de Muay Thai ® - ®Copyright 2007 Todos os direitos reservados.
Site melhor visualizado em resolução 800x600 - 32 bit colors